quarta-feira, julho 21, 2004

Queremos Justiça

Se a lei vier a ser respeitada em nosso país o Bispo Crivella terá sua candidatura impugnada e perderá sua cardeira no Senado.

Na matéria de O Globo de hoje podemos ler que Crivella, mesmo dizendo que a Tv Cabrália não pertencia mais a ele, continuava assinando como Sócio-gerente.

Isso não pode virar uma pizza de laranja!

E essa resposta dele é risível:
"— Isso é uma chatice! Toda hora vem um chato pedindo para eu assinar. Sendo um homem muito honesto, sou obrigado a continuar assinando até o ministério concluir o processo, porque recebi o dinheiro deles e passei para o meu Imposto de Renda. Se fosse desonesto, pegaria a TV Cabrália de volta. "

Crivella assinou pela TV Cabrália em maio
Gerson Camarotti

BRASÍLIA. Documentos analisados ontem pela Procuradoria da República no Distrito Federal mostram que o senador Marcelo Crivella (PL) não só ainda é sócio da TV Cabrália como continua ativo na condição de gerente da emissora, afiliada da Rede Record no Sul da Bahia. Na 21 alteração do contrato social da TV Cabrália, datada de 13 de novembro de 2003 e registrada na Junta Comercial da Bahia apenas em 10 de maio deste ano, aparece a assinatura do senador, candidato a prefeito do Rio. O contrato tem como objetivo extinguir a filial da TV Cabrália localizada na cidade de Eunápolis, na Bahia.

A Constituição proíbe que parlamentares diplomados exerçam cargo em empresa concessionária de serviço público e determina a perda do mandato de quem infringir a lei. Os documentos contrariam a versão de Crivella de que já não exercia função na TV. Crivella deve ser acusado pelo Ministério Público de falsidade ideológica por ter omitido das declarações de bens encaminhadas ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio, em 2002 e neste ano, a participação acionária de 46% na TV Cabrália. As cotas ainda em poder de Crivella somam R$ 267.422.

“O senador deveria ter se desvinculado”, diz Peres

O Senado deve pedir a cassação do mandato de Crivella com base na informação publicada ontem pelo GLOBO de que ele continua como sócio-gerente da TV Cabrália. O senador Jefferson Peres (PDT-AM), membro do Conselho de Ética do Senado, disse que o caso é muito grave e passível de cassação do mandato. Segundo ele, a Corregedoria do Senado deve averiguar os fatos e enviar o pedido de cassação ao Conselho de Ética. Só depois é aberto o processo de cassação.

— O senador deveria ter se desvinculado de fato e de direito da TV Cabrália. Isso é muito grave, passível de cassação do mandato. É a Constituição que determina. Espero que ele não tenha cometido este erro — afirmou Peres.

Na volta do recesso, a situação do senador do PL deve ser examinada pelo corregedor da Casa, senador Romeu Tuma (PFL-SP). Crivella ainda corre o risco de ter a sua candidatura a prefeito do Rio impugnada. O pedido de impugnação já foi enviado ao procurador regional eleitoral no Rio, Antônio Carlos Simões Martins Soares, pelo procurador da República no Distrito Federal Luciano Sampaio Gomes Rolim.

A documentação atestando a participação do senador na sociedade da TV foi enviada ao procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, que está de recesso e deve examinar o caso quando voltar. Ele tem o poder de encaminhar ao Supremo Tribunal Federal proposta de abertura de processo contra os parlamentares.

E ele continua mentindo e mentindo.... e mentindo...

Candidato volta a culpar burocracia do ministério


BRASÍLIA E RIO. O senador Marcelo Crivella apresentou ontem nova versão para o fato de continuar como sócio-gerente da TV Cabrália e culpou a burocracia do Ministério das Comunicações, que não teria completado o processo de cessão de suas cotas para Osvaldo Roberto Ceola e José Célio Lopes, também ligados à Igreja Universal. O senador disse que Ceola, um dos novos sócios para quem pretendia passar as suas cotas, teve o nome vetado pelo ministério porque ultrapassava o limite legal fixado para estações concessionárias em seu poder. O Ministério das Comunicações detectou essa impossibilidade, mas a desistência da troca societária foi solicitada pela TV Cabrália, como mostra ofício da Delegacia Regional do Ministério das Comunicações.

— A culpa é da burocracia. É preciso fazer uma auditoria no Ministério das Comunicações — disse Crivella.

Crivella admitiu que continua assinando documentos da TV Cabrália porque o ministério ainda não homologou a troca societária.

— Isso é uma chatice! Toda hora vem um chato pedindo para eu assinar. Sendo um homem muito honesto, sou obrigado a continuar assinando até o ministério concluir o processo, porque recebi o dinheiro deles e passei para o meu Imposto de Renda. Se fosse desonesto, pegaria a TV Cabrália de volta.

Segundo um parlamentar com bom trânsito junto aos líderes políticos da Igreja Universal, o bispo Edir Macedo usa poucos pastores e bispos de confiança para colocar as TVs em seus nomes. Por isso alguns integrantes da Universal acabam acumulando sociedade em várias emissoras em poder da Igreja, como é o caso de Ceola.

Também ontem, em corpo-a-corpo na Central do Brasil, no Rio, Crivella disse que vendeu a participação na TV Cabrália em 1999. Antes, dissera que tinha vendido há dez anos. Para ele, o procurador da República Luciano Sampaio Gomes Rolim, que pediu a impugnação de sua candidatura, está mal informado.

As versões de Crivella sobre o caso vêm mudando. No último dia 9, ele alegou ter vendido as cotas há mais de dez anos e disse nem mesmo se lembrar do nome dos compradores.

Durante o corpo-a-corpo, o grito de guerra dos correligionários de Crivella era “A voz do povo é a voz de Deus. A Globo é Cesar, mas o povo é Crivella”. O candidato do PL esteve na Bolsa de Gêneros Alimentícios do Rio (BGARJ). Segundo o presidente da bosa, José de Sousa e Silva, o candidato do PL disse estar sendo perseguido pelo GLOBO.

— Ele disse estar sofrendo uma perseguição do jornal — contou Silva.